Domingo, 17 de Outubro de 2021
19 9 8882-5790
Brasil Política

Ministro da Cidadania torce que Brasil chegue ao 100º ouro em Tóquio

Brasil conquistou 87 medalhas de ouro em Paralimpíadas

24/08/2021 22h00
Por: Victor Santana Fonte: Agência Brasil
Foto: Ascom
Foto: Ascom

O ministro da Cidadania, João Roma, disse hoje (24), no programa A Voz do Brasil, que tem confiança nos atletas brasileiros que estão competindo nas Paralimpíadas de Tóquio 2020. “Até aqui nossos atletas somam 87 medalhas de ouro em Paralimpíadas, restam 13 para o feito histórico de 100 ouros em Jogos Paralímpicos. Só posso dizer que seria maravilhoso atingir essa marca no Japão”, disse.

Segundo o ministro, com a quinta maior delegação de paratletas em Tóquio, o Brasil tem se destacado mundialmente por meio de grandes talentos paralímpicos. “[Eles] já fizeram uma performance muito bonita no Rio de Janeiro e tenho certeza que também em Tóquio vão orgulhar muito o nosso Brasil”.

O ministro disse que sabe como alegra a cada brasileiro quando a bandeira brasileira é hasteada e o atleta consegue uma medalha para o país. “Para tudo isso há uma longa trajetória e um investimento importante e um suporte por trás de todos esses atletas, principalmente por meio do programa Bolsa Atleta e Bolsa Pódio, [que] são fundamentais para que os atletas possam cada vez mais superar suas marcas e, ao chegar em um momento como esse, um momento de Paralimpíada, poder representar o nosso Brasil e conquistar muitas medalhas.”

Dos 236 esportistas da delegação brasileira em Tóquio, 95% recebem o Bolsa Atleta. “Só para esses atletas foi um investimento de quase R$ 117 milhões nesse ciclo [olímpico] para que viabilizasse a presença desses atletas”, disse Roma.

O ministro explicou que o esporte paralímpico era contemplado dentro da estrutura da Secretaria Especial do Esporte, que faz parte do Ministério da Cidadania, com as ações da Secretaria Nacional de Esportes de Alto Rendimento e, no ano passado, foi criado a Secretaria Nacional do Paradesporto. “O objetivo é proporcionar às pessoas com deficiência a prática do esporte como ferramenta de inclusão, de educação e de socialização. No esporte paralímpico de alto rendimento, o Brasil já é uma potência. O olhar da secretaria se volta às pessoas com outros tipos de deficiência, como autistas, surdos, pessoas com deficiências intelectuais, de modo que elas também possam ter acesso ao esporte e, com isso, mais qualidade de vida”, disse.

Auxílio Brasil

O ministro também falou sobre o Auxílio Brasil, que deve ser lançado em novembro. “Estamos trabalhando para que a população possa encontrar um programa de transferência de renda mais fortalecido, mais abrangente, com maior quantidade de beneficiários e que cada vez mais possa integrar políticas públicas voltadas para ir além de uma proteção social a esses brasileiros, oferecendo trilhas de emancipação”, disse.

João Roma também respondeu perguntas dos ouvintes e esclareceu dúvidas como quem precisará se inscrever no Auxílio Brasil. Segundo o ministro, os cadastrados no Bolsa Família e em outros benefícios, automaticamente estão inseridos no novo programa. Quem atualmente recebe o auxílio emergencial, mas não está no Bolsa Família, precisará fazer um cadastro para ver se se enquadra nos critérios do novo programa.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.